Como o neuromarketing ajuda a crescer as vendas?

 

 

 

A mudança no relacionamento com o cliente não é novidade no mercado atual, principalmente para marcas que possuem e-commerce e que precisam lidar diretamente com o consumidor digital, que está cada vez mais exigente. 

Uma pesquisa americana constatou que 84% das pessoas querem ser tratadas como pessoas e não somente como números. 59% esperam que as empresas ofereçam um atendimento personalizado com base nas interações passadas.

Mas, como atender cada cliente com as suas particularidades e necessidades? Como definir as melhores estratégias para conquistar os clientes e impulsionar as vendas? 

 

Neuromarketing

Uma das estratégias que mais crescem no mundo é o Neuromarketing. Essa é uma aplicação da neurociência no marketing, que tem o objetivo de entender o subconsciente dos consumidores no momento da compra. 

Em tempos onde a oferta é bem maior do que a procura, é fundamental pensar no consumo como ciência e elaborar estratégias mais eficientes e que possam gerar mais resultado para a sua empresa. 

Nesse sentido, o Neuromarketing tem a função de “influenciar” a mente humana, sobretudo na parte que menos sabemos usar: o subconsciente. Marcas internacionais como Hyundai e Paypal já usaram essa ferramenta para reinventar projetos de marketing e campanhas publicitárias. E spoiler: essas campanhas remodeladas fizeram muito sucesso! 

 

Como aplicar o Neuromarketing na sua empresa

Vale lembrar que quando se trata de Neuromarketing, nós não estamos falando do futuro, e sim do presente, de quais estratégias reais podem ser usadas hoje na sua empresa. De todas as informações que recebemos, 90% são processadas pelo inconsciente. Portanto, conhecer de fato o cliente é muito mais vantajoso do que qualquer pesquisa feita com formulários ou coleta de dados. 

É por isso que atrair consumidores usando estratégias de neuromarketing traz resultados mais precisos para a empresa, já que as pesquisas por meio de formulários e coleta de dados, podem ser falhas devido à complexidade do cérebro humano. 

As empresas, por sua vez, podem usar esses resultados para abastecer os dados profissionais de marketing e, assim, tomar decisões mais assertivas a fim de melhorar o lançamento de produtos, embalagens, usabilidade do site, posicionamento da marca e preços, por exemplo. 

Também é preciso identificar o que o consumidor deseja. Muitas vezes ele não quer algo novo, mas sim, algo que já lhe é familiar, mas de uma forma mais aperfeiçoada. Nesse sentido, é importantíssimo que a sua empresa transmita valores ao consumidor. 

Além disso, a história da sua marca precisa ser perceptível e ter um significado maior do que apenas os produtos e serviços que você oferece. Aposte, também, em anúncios com apelo emocional, porque os consumidores apresentam resultados mais positivos, com relação aos anúncios com apelo mais lógico.  

 

Dessa forma, a sua empresa pode seguir os seguintes princípios: 

 

  1. Desenvolver um envolvimento emocional com os consumidores; tendo como embaixadores pessoas que são queridas pelos consumidores;

 

  1. Assegurar que a marca represente o estilo de vida dos consumidores;

 

  1. Criar um “marcador somático”, algo tão marcante que o consumidor não esqueça facilmente. Exemplo disso é o slogan do McDonald’s: “Amo muito tudo isso”. 

 

Para crescer as vendas da sua empresa, basta uma ideia que seja pensada “fora da caixa”, afinal de contas, para o Neuromarketing, simplificar é a palavra-chave! 

 

Para mais posts como esse, continue acompanhando o nosso blog!

Comercial

Como podemos ajudar?