Entenda a diferença entre NF-e, NFC-e e NFS-e

Saber a diferença entre NF-e, NFC-e e NFS-e não é fácil para quem está abrindo uma empresa. Hoje em dia, entrar no mercado e fazer o negócio ‘dar certo’ demanda conhecimento em áreas determinantes como, por exemplo, administração e economia. Junto a tudo isso, também é preciso estar antenado na modernização de todos os processos que envolvem o funcionamento de uma empresa.

Desta forma, podemos começar a explicar um pouco sobre as notas fiscais eletrônicas. É fundamental saber que elas são parte desta modernização corporativa, já que foram criadas para substituir o antigo cupom fiscal de papel e hoje são itens obrigatórios dentro de grande parte das organizações. A intenção deste artigo é esclarecer a importância e fazer você entender, de uma vez por todas, qual a diferença entre NF-e, NFC-e e NFS-e.

importante saber a diferenca entre NF-e, NFC-e e NFS-e

O empresário precisa estar ciente da diferença entre NF-e, NFC-e e NFS-e.

 

– Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)

O primeiro passo antes de compreender a diferença entre NF-e, NFC-e e NFS-e, é ter em mente o que é a nota fiscal eletrônica. Esse documento garante, via arquivo digital, um armazenamento facilitado e o registro de todas as operações tributárias.

A funcionalidade da NF-e está diretamente ligada a ações do dia a dia da empresa, como compra, venda e troca de mercadorias. A menos que a isenção seja autorizada por lei, a emissão de nota fiscal eletrônica é indispensável para empresas de pequeno porte (EPP), presumido, simples nacional, MEI (em alguns casos), microempresa (ME), etc.

 

– Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e)

A NFC-e tem a facilidade de reunir em um único documento informações do cupom fiscal e da nota fiscal do consumidor. Por isso, seu foco são as transações voltadas para o cliente final, tanto em operações comerciais de venda in loco ou nas entregas a domicílio. Entre as vantagens oferecidas pela NFC-e ao empreendedor, está o acesso em qualquer dispositivo móvel, a redução de custos e a organização das notas geradas.

Assim como a NF-e, para o envio da NFC-e é preciso contratar um sistema emissor de notas fiscais. Esse modelo de nota também oferece ao consumidor a possibilidade de encontrar todos os documentos fiscais cadastrados em seu nome, ao acessar o site da Secretaria de Estado da Fazenda (SEFAZ).

 

– Nota Fiscal de Serviço Eletrônica (NFS-e)

A NFS-e assim como as anteriores é um documento digital, emitido e armazenado eletronicamente, mas direcionada as organizações que prestam serviço. Neste documento fiscal é cobrado o Imposto Sobre Serviço de qualquer natureza (ISS), ou seja, ele é o responsável pela interação tributária entre o prestador de serviço e a prefeitura do seu município. Vale lembrar que a Nota Fiscal de Serviço Eletrônica precisa ser arquivada, nos formatos XML e original, por um período de cinco anos. Além disso, só a nota confirma a prestação de serviço e depois de emitida o empresário tem o prazo de 30 dias para anulá-la.

 

Como emitir notas fiscais eletrônicas  

Após entender as principais diferenças entre NF-e, NFC-e e NFS-e, você precisa estar consciente de que para a emissão da NF-e, NFC-e, determinados requisitos devem ser cumpridos, confira o passo a passo:

 

1 – Certificado Digital

Antes de qualquer coisa, a sua corporação necessita ter o Certificado Digital para emitir o documento fiscal. Ele corresponde a uma assinatura eletrônica da empresa com validade jurídica, por isso é considerado indispensável para confirmar a veracidade das NF-e emitidas. Correios, Caixa Econômica Federal e Receita Federal são alguns dos locais onde esse documento pode ser obtido.

 

2 – Computador ou equipamento eletrônico similar

A sua empresa deve ter um dispositivo, seja ele, computador, celular ou tablet com internet para emitir determinadas notas ficais. Além disso, o equipamento eletrônico deve ser compatível com o software contratado.

 

4 – Sistema emissor

Contratar um emissor de NF-e, NFC-e de qualidade é fundamental para todo o processo até alcançar o documento fiscal. Um bom exemplo de software que gerencia sua emissão de notas fiscais é o Finer Notes. Ele dará todo o suporte no desenvolvimento da rotina de trabalho, assim como rapidez e praticidade, além de qualidade que qualquer empreendedor busca para se destacar frente a concorrência.

software emissor de NF-e

Contratar um software emissor de NF-e de qualidade é importante para empresa. Imagem: Finer Notes

 

5- Internet:

Item obrigatório na hora de fazer o seu sistema funcionar. Sem a internet não é possível ter a liberação para a emitir a Nota Fiscal Eletrônica, realizada por meio da comunicação entre a Secretaria da Fazenda (SEFAZ) e a Receita Federal.

 

O que levar em conta na hora de contratar um software emissor

Como citamos anteriormente, é essencial também compreender que para a funcionalidade da NF-e e NFC-e, certos cuidados são vitais na escolha do sistema emissor. Um software que facilita a rotina de trabalho economiza tempo, evita preocupações desnecessárias e garante maior segurança nas transações que são fundamentais para fazer a empresa ter credibilidade junto aos consumidores.

Para isso, o software contratado precisa cumprir com algumas condições. Veja as características aqui.

 

A escolha de um bom software

Neste artigo você pôde tirar suas dúvidas em relação a diferença entre NF-e, NFC-e e NFS-e, além de ver o que precisa levar em conta na hora de contratar um bom software. Se você ainda não conhece um emissor de nota fiscal que cumpre as exigências do mercado ou tem dúvidas em relação ao serviço e o suporte real que ele oferecerá para a sua empresa, converse com outras pessoas que estão no ramo e pesquise quais são as melhores opções do mercado.

Se nossa indicação ajudar, como já fizemos ao longo deste artigo, conheça o Finer Notes. O software está na rotina de empresários há mais de 10 anos e vai te oferecer a agilidade que você deseja no dia a dia do seu negócio.

Conheça o melhor emissor de NFe e NFCe, o Finer Notes